terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Madison e os talentos

Seu nome: Madison Saldanha Silva. Vinte anos, recém formado em hotelaria pela Castelli Escola Superior Hotelaria, em Canela (RS). Guri de Uruguaina, cidade na fronteira sul, com a Argentina, veio estudar com muitas convicções. Achou que tudo seria rápido, intenso e sem envolvimentos com a comunidade. Abriu um sorrisão com as surpresas da vida: encontrou em Canela uma cidade receptiva, com pessoas hospitaleiras. “ Diferente do que imaginava, mesmo com a intensidade do curso que me levou à cidade, pude interagir e me integrar à vida da região”, acrescentou Madison.



olha o moço aí...

Seriam dois anos de aulas em tempo integral, mais os estágios, os estudos em casa, as leituras. A vida estaria concentrada nos livros, na experiência universitária e na saudade da família, que tinha ficado em Uruguaina. Assim pensou Madison. “Durante um ano mantive contato com familiares, foi um período de adaptação e não tinha muito tempo, pois estagiava nos finais de semana. Já no segundo ano de faculdade comecei a escrever a coluna “Aventuras de um universitário”, para o Jornal Folha Uruguaianense. Isso me projetou para pessoas que nem conheço na minha cidade”, completa surpreso o hoteleiro.

Canela mudou a vida do rapaz que aprendeu a sonhar com vôos mais amplos (ele agora participa do programa de estágios da Castelli ESH, no resort Vila Galé Cumbuco, próximo à Fortaleza, Ceará). Canela se tornou um lugar para voltar a morar. “ Foi um lugar que marcou e mudou minha vida, uma cidade ótima para se viver com belezas únicas, boa gastronomia, um lugar que certamente visitarei muitas vezes, e quem sabe voltarei a morar”, afirma convicto.

Uma cidade é mais que um mero local para se morar e trabalhar. É um lugar que nos identificamos (ou não), que nos faz sonhar, que nos torna seguros no mundo. “Canela ficou na minha memória como o lugar onde fiz grandes amigos, conheci pessoas muito especiais. Sofri sim, de saudades, com o clima e a vida corrida, mas por outro lado participei de eventos, trabalhei em lugares que jamais pensei estar, realizei alguns desejos que nem sabia que tinha. Um lugar inesquecível, que definiu muitas metas, ações e projetos na minha vida”, revela Madison.

Para Madison conhecer cidades é uma arte. Mais que conhecê-las é preciso vivê-las. “Andar a pé, ir ao mercado, pegar ônibus, metrô. Principalmente andar a pé, pois dessa forma podemos conhecer um lugar com os cinco sentidos, e ver aquilo que os carros não permitem: a arquitetura, uma das minhas paixões”.

Madison não conta as cidades que já conheceu. Já viajou pela América do Sul, mas quer conhecer mais o Brasil, seus talentos e traços culturais tão únicos. Ele acha que precisa viver mais novas cidades. Atualmente no Ceará, região nordeste brasileira, o hoteleiro diz que esta é uma oportunidade ímpar de conviver com outra cultura no seu próprio país.

Quando a conversa se volta aos talentos, já que ele foi o responsável pela Mostra de Produção do Conhecimento Castelli ESH, em novembro de 2010, o rapaz é modesto. “Costumo dizer que não devemos jogar confete em nós mesmos”. Ele não se acha talentoso, mas habilidoso, principalmente quando o assunto é dominar a liguagem. O talento maior que gostaria é ser mais confiante. “Isso não é exatamente um talento, mas acredito que se reflita na percepção das pessoas sobre tuas ações. Por exemplo, podes convencer melhor as pessoas sendo ainda mais confiante. Talvez meu defeito seja a capacidade de síntese, acabo falando demais e não me faço entender”.

O hoteleiro é sensível e retoma os momentos vividos na Mostra de Produção. “As premiações que os colegas receberam, e a homenagem da direção da Castelli para mim, na cerimônia de encerramento foi emocionante”, confessa ele.

recebendo a homenagem 
A Mostra de Produção do Conhecimento Castelli ESH é um evento que ocorre anualmente na instituição, com o intuito de mostrar os múltiplos talentos que compõem o perfil do aluno Castelli, as facetas de um hoteleiro. Podem participar alunos ligados a expressão artística e cultural, à produção de programas, projetos, eventos implantações, da mesma forma que trabalhos técnicos, voltados à administração de empresas da área. Na edição que passou (a sétima) foram inscritos e expostos mais de 125 trabalhos do corpo discente e docente. O evento ocorreu do dia 09 de novembro (data em que é celebrado nacionalmente o Dia do Hoteleiro) ao dia 19 do mesmo mês. Além da exposição, aberta à comunidade, foram realizadas apresentações culturais, palestras e workshops na Castelli.

Questionado sobre o por que de mostrar o talento dos outros, Madison não mede palavras. “Porque somos diferentes, e não vivemos sozinhos, acredito que nos completamos. Qual seria a graça de sermos todos iguais, as pessoas não conheceriam novas culturas, não viveriam novas fases, não cresceriam, além disso é uma forma de conhecer melhor as pessoas do convívio diário. TODO mundo é bom em alguma coisa, algumas habilidades podem não ser aparentes ou mesmo focadas em algum seguimento, mas independentemente todo mundo faz algo muito bem”.