segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O Nonô

Quando conheci o seu Brambilla pensei em como escrever sobre ele, que título dar para a postagem, mas sinceramente, igual a ele poucos existem. Com 94 anos, João Brambilla levanta cedo, faz seu próprio chimarrão, cozinha, cuida da casa e da horta, ajuda na manutenção do Hospital de São Francisco de Paula e ainda cuida das hortaliças e verduras numa tremenda horta, que abastece a cozinha do Hospital. Ufa!


O Nonô nos faz pensar sobre as prioridades que escolhemos, não para toda uma vida, mas o dia a dia. A Vida é feita de passado, presente e futuro. E hoje o que temos é somente o hoje, o agora, o presente. E o Nonô nos mostra isto sem teorias, sem discursos. Em 1961, a convite do padre de São Chico (que era seu parente), veio para o município construir a Igreja Matriz. Foram três anos de construção, do alicerce à torre, passando pelo reboco, pelo forro e todos os detalhes. Ele e outros três funcionários. Na época, em São Francisco de Paula circulavam apenas dois carros nas ruas.

Tanto na horta do Hospital, quanto na da casa é plantado milho, alface, cebolinha, salsinha, repolho, chuchu, entre outras verduras. A rotina é semear, transplantar as mudas, limpar os canteiros e plantar mais. O que não usa para si ou para o hospital distribui entre os colegas de trabalho, todos fascinados pelo bom humor e pela disposição do seu Brambilla. Ele não gosta de desperdiçar coisa alguma. Nenhuma conversa, nenhum alimento.

Natural de Montenegro relembra a saga dos seus avós. Estes vieram de Milão e juntamente com outras duas famílias italianas começaram o povoamento de Nova Milano, na região serrana gaúcha. De Nova Milano lembra da sociedade esportiva, que ajudou a fundar, e dos jogos de futebol.

Nonô chegou em São Chico em 03 de abril de 1961. Depois de terminada a construção da igreja foi buscar a família, que estava em Caxias (mulher e filhos). Ele diz que quem toma a água de São Chico não consegue mais ir embora (e esta blogueira confirma!). Daí foi chamado para construir o Clube Cruzeiro e inúmeras casas na cidade. São 60 anos como pedreiro. Também foi ferreiro, tropeiro e serviu ao exército. Tropeiro foi por pouco tempo. Ele buscava mulas de carga em Lajes/SC, porque lá eram mais baratas e as revendia em Farroupilha, Bento Gonçalves/RS. Gostava muito de viajar, mas atualmente disse que não gosta mais.



Perguntei a ele se chegar aos 94 tinha segredo. Ele fez cara de espanto. Disse que era uma vida normal. Nada mais. Em junho, os colegas de trabalho do Hospital fizeram uma festa de aniversário surpresa para o Nonô. Mais do que contente ele ficou surpreso. Seu Brambilla é assim, vive sem expectativas e um dia de cada vez. Um aprendizado e tanto numa época de correrias desnecessárias.


sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Ótimo filme



Em 2007 trabalhei como jornalista na assessoria de imprensa do Festival de Cinema de Gramado. Ainda em luto pela morte do meu pai e do meu irmão decidi trabalhar para amenizar as dores. Tive gratas surpresas, como reencontrar amigos jornalistas, produzir bons textos e assistir "El Baño del Papa", produção uruguaia com César Trancoso no papel principal. Um filme de aparência simples, de imagens encantadoras e uma mensagem otimista.

Na sinopse o ano é 1988 e o Papa João Paulo II visitará a cidade de Melo, no Uruguai. Calcula-se que 50 mil pessoas virão ao lugarejo para ver o Papa. Os habitantes mais humildes acreditam que, se venderem comida e bebida a esta multidão, ficarão ricos. Bento não pensa em comida e bebida, mas em construir um banheiro.

E assim se desenrola uma história de ambições, limites e coragem. Era tudo o que eu precisava na época. Depois do filme, coletiva de imprensa com os diretores e atores. Realismo e ficção juntos, sem deslumbramentos, experiência de palco indo para a grande tela.

No último final de semana, o Canal Brasil exibiu o filme. Nossa! Que coisa boa! É de pensar, de rir, de refletir.

Procurem na internet, nas locadoras. Assistam! E depois me contem se exagerei...

sábado, 17 de setembro de 2011

Escola de Chocolataria, em Canela/RS


Foi em clima de comemoração, no ano em que completa 10 anos de atividades, que a Castelli Escola Superior de Hotelaria lançou e sua Escola de Chocolataria, reunindo convidados, autoridades, imprensa, parceiros e alunos no stand da Febrachoco, a primeira edição da Feira Brasileira do Mercado de Chocolates.

professor Castelli lançando a Escola de Chocolataria
Dos Saberes às Sensações, do Cacau ao Chocolate, a Escola de Chocolataria da Castelli ESH será um Centro de Excelência em Educação com programas de ensino de atividades teóricas e práticas, incluindo vistas técnicas aos principais centros de referência na produção de chocolates no Mundo.

A Escola de Chocolataria contempla ainda a formação profissional, empreendedora e cursos rápidos, como chocolate gourmet. O principal foco é a cadeia produtiva do chocolate, vislumbrando desde a qualidade dos grãos de cacau até a tecnologia de produção tanto artesanal como industrial e voltado ao ensino da Arte e da Gastronomia do Chocolate.
  
Formatada para aqueles profissionais interessados na carreira de chocolatier, e também aos empreendedores do ramos de chocolate, e ao público em geral interessado em técnicas  de confecção de produtos de chocolate. Mais informações com Vera Oaigen pelo e.mail castelli@castelli.edu.br ou pelo telefone 54.3282.1460.

texto de Aline Viezzer e foto de Sandro Seewald

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Quer ajudar o banco de sangue do HPS?

Para doar sangue para o Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre (HPS), basta comparecer ao Hemocentro (avenida Bento Gonçalves, 3722 - bairro Partenon - Porto Alegre), de segunda a sexta-feira das 8h às 18h, e fazer a coleta em nome do HPS.