quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Pizza!!






Quando eu era criança minha comida predileta era lazanha de presunto e queijo, massa verde ou massa branca/amarela. Hoje lasanha é algo gostoso, mas não está mais na minha lista de "a predileta"! Daí fiquei encucada com isto! Qual seria a minha comida, aquela que desperta desejos e vontades loucas? As respostas não apareciam. Não apareciam e eu comia cada vez mais pizzas. Até que um dia parei apara analisar isto. O que me enlouquecia eram as pizzas. Então por que não serem elas as minhas preferidas? Alguém disse que pizza era muito pouco para ser a preferência. Discordei  e elegi a pizza como meu prato predileto. Mas não me aguentei. Eu queria mais! Tava cansada de pizza sem sabor. Minha vontade era resgatar o sabor de uma mussarela com azeitonas que comi numa pizzaria em Campinas/SP, quando eu tinha uns 8, 9 anos. Era uma massa fininha, crocante, aquele queijo derretido e azeitonas pretas... então fui aprender a fazer pizza com o chef Rafael Michalski.



Aí a realização foi total! Fazer pizza é uma arte! É uma meditação, desde o juntar os ingredientes, ver a massa crescer, abrir, preparar o molho, cuidar no forno, juntar os ingredientes da cobertura... tá certo que dá trabalho, mas será que precisamos abrir mão de tudo que é trabalhoso? Acho que cansei da vida fácil. Tenho feito muita pizza e me divertido com isto.


Brincar com o formato. Por que as pizzas precisam ser redondas? Descobrir novos sabores, combinar mussarela e gorgonzola. Apreciar o simples, o alecrim e a sálvia. Tô descobrindo que o bom é simples. Muito simples. E viva a pizza!!!




segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

As boas notícias merecem ser divulgadas e repassadas. Confiram a matéria que saiu hoje (16/01), na seção Responsabilidade Social, no Jornal do Comércio. Texto de André Vitor Pasquali.




sábado, 7 de janeiro de 2012

Levantando paredes

2012 será o ano da materialização do Universo Viale... projetos mirabolantes querem viver, se mostrar. Querem ser vistos como coisas reais e cotidianas. Para isto, em breve levantaremos paredes. Paredes fixas para abrigar novas emoções, novos sabores, novos olhares.


Mas levantar paredes emocionais não é nada legal. Paredes erguidas entre as pessoas invalida relações, propaga ódio, envenena o ambiente. Este ano quero levantar paredes, mas de madeira, tijolo, não sentimentais. É uma boa meta para um ano que tem levado a fama de fim de tudo!!!