sábado, 26 de maio de 2012

Glóbulos vermelhos... e eu com isto?


Quantas vezes nos perguntamos, em sala de aula, por que a professora (ou professor) falava sobre determinado assunto. Na adolescência, as aulas da professora Virgínia, de biologia, me intrigavam. Era uma viagem para dentro de nós, a visão de cada detalhe, o entendimento do funcionamento do todo. Naquela época (década de 80), pouco se falava sobre transplante de medula óssea e eu nem imaginava do que eram capazes os nossos glóbulos.

Cabe recordar aqui, para mudarmos algumas atitudes, lembrarmos de nossos professores de biologia (com carinho, por tanto ensinamento!) e pensarmos em salvar uma vida nesta próxima segunda-feira, quando os hemocentros estarão abertos!! Doe sangue, doe vida! Seja um herói nos próximos dias!

"A medula óssea é um tecido gelatinoso que ocupa o interior dos ossos, sendo conhecido popularmente por “tutano”. Na medula óssea são produzidos os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. O transplante de medula óssea é recomendado a pacientes com doenças que afetam as células do sangue, como leucemias, anemia aplástica e linfomas. O transplante é a substituição da medula óssea doente por uma saudável. Com isso, o organismo do paciente transplantado passa a produzir novas células da medula óssea e do sangue."



Eles de novo!!!

Viram quem reapareceu???? Meus amigos pintinhos, a diversão deste blog e a busca por mais humor nesta vida, que anda se inquietando com o céu cinzento dos últimos dias. Preciso urgentemente de cor... por aqui, a materialização do Universo Viale. Madeira, prego, bate martelo, mede assoalho, idealiza, cor, pensa jardim, contata artistas, revisa receitas, bola cortina, pensa nas mesas, que tal uma estante de vinhos e um balcão bem grandão... ai, ai, vem surpresa por aí!!

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Mudancinha

Mudar nem sempre é fácil. É preciso de desapego, ouvir alguns desaforos, superar limites, se entregar de corpo e alma. Mudar é reconstruir.

O outono mostra um pouco disto: tudo que vem aparecendo, desde a primavera, começa a se desfazer. É o espaço para o novo. Tô bem outono. Separando papéis, músicas, sentimentos, hábitos, gostos. Esta semana volto para a ginástica. Reaprendi a tomar café da manhã (nossa!!! como é bom!!!). Mais tempo para fazer pizzas e para contar histórias para a Maria Rita. Roupas guardadas virando Repanô. Jogando fora convenções alheias. Nossa!!! Por que esperar o outono chegar para se sentir mais livre? Toda hora é hora! Seja feliz pelo menos agora!!