terça-feira, 26 de maio de 2015


Lá em 2003 eu participava de um grupo chamado Movimento de Preservação do Antigo Caminho das Tropas. Pessoas de áreas diferentes, querendo preservar os campos de cima da serra. Não sei se fizemos muito, mas realizamos uma Conferência Guia, que trouxe muita gente boa para palestrar e contribuir com experiências. Na época, eu tinha recém voltado da Europa. Estava cheia de ideias na cabeça, ânsia de fazer... eu tinha bochechas e o cabelo ainda era Chanel!!! Conheci ambientalistas, historiadores, biólogos, professores. Conheci políticos. Fui em tanta palestra, escrevi tanto... e de lá para cá os campos só estão sumindo. Os campos fizeram tanto por mim e eu pouco fiz por eles. Será hora de retomar o movimento? Ah! as fotos são de L.P. Gallina.
















Inverno nas regiões dos Campos de Cima da Serra e Hortênsias, no ano de 2.003

CARTA DE PRESERVAçÃO DO CAMINHO DAS TROPAS

Quando pessoas, de características tão distintas, reúnem-se ao redor de um pequeno papel escrito, pensa-se imediatamente que tais palavras contenham um segredo ou um grande interesse em comum. Já não fazemos segredo sobre nossa vontade de proteger esta terra, de vê-la, a cada ano, produzindo e garantindo sustento aos que também crêem nesta realidade. Já deixou de ser mistério a urgência em pensarmos no amanhã e no depois do amanhã. Não porque tenhamos medo do presente, mas porque nos orgulhamos de nosso passado e consideramos o tempo atual como um marco nesta história de mudanças sustentáveis.

Nosso interesse, em comum, é fazer do hoje uma data especial. É quando assumimos, perante esta terra tão ressentida, nosso maior compromisso: o engajamento com o futuro. E apresentamos este futuro sem adjetivos, mas com propostas reais e de viável alcance. Por nós e por tantos outros que queiram assumir de maneira nobre este acordo.

Com este documento nos comprometemos com o projeto batizado “Caminho das Tropas”. Caminho este, onde muito antigamente mulas criadas no Rio Grande do Sul foram conduzidas até Sorocaba, no interior de São Paulo, para trabalho em engenhos de açúcar, desenvolvendo nosso país. Caminho que nos remete ao ano de 1730, confirmando nossa riqueza histórica, nosso envolvimento com os primeiros povos, os indígenas. Caminho que ainda estreita as relações entre os municípios de Bom Jesus, Cambará do Sul, Jaquirana, São Francisco de Paula, São José dos Ausentes, Monte Alegre e Vacaria.

Filho batizado acompanharemos seus primeiros passos de perto, praticamente lado a lado. As primeiras pegadas serão sinal de base: traçar um zoneamento regional, onde sejam especificadas as áreas de proteção da flora e fauna nativa e áreas que atendam à necessidade das monoculturas de exóticas, ainda plantadas em nossa região para suprir os mercados agrícola, de madeira e papel. Continuaremos contribuindo com o desenvolvimento de nosso país. Compreendemos os chamados diversos de nossa atual sociedade produtora e consumista, porém também entendemos que nesta o bom senso ainda é uma regra a ser respeitada.

E quando nos disserem que o caminho se faz caminhando, acrescentaremos que o trilhar com um objetivo ou com um roteiro, como guia, torna as pernas mais fortes. Nossa terra ganhará novos contornos e mostraremos estes aos outros filhos desta. Sabemos que a educação é um presente maior, uma oportunidade para dias melhores e ofertaremos esta dádiva aos que não a conhecem. Nossas palavras chegarão às crianças; aos pecuaristas e pequenos produtores; aos visitantes, que tanto procuram nossa região. Chegarão às donas de casa e estudantes universitários. Alcançarão até aqueles que vêem nosso trabalho como esforço jogado ao vento. Atingirão tantos espaços porque trabalharemos amparados pela lei, pela informação correta e pelo saber científico. Não desprezaremos parceiros, colaboradores e amigos. Mas diremos “não” aos que insistem em tratar nossa terra como algo sem importância, sem história, sem vida e sem futuro.

Assinam este documento pessoas de bem, de bom senso e responsabilidade. Pessoas comprometidas com gerações futuras, conhecendo-as ou não. Empenhadas em retribuir à terra as riquezas recebidas. Conscientes de que não fabricaremos a água, o ar, a fauna, a flora e outros equilíbrios, nos prontificamos a zelar por esses elementos, não somente neste Caminho das Tropas, por nós já protegido, mas em nossos caminhos individuais e coletivos.

Assinaturas:



Sebastião Fonseca de Oliveira – historiador e pecuarista


Patrícia Soares Viale – jornalista ambiental

Marco Aurélio da Silva Guimarães – Associação Ecológica de Canela

Maria Celina S. Oliveira – Associação Ecológica de Canela e Metroplan

Marcus Arthur Graff – Associação Ecológica de Canela

Marcos Fialho – IBAMA São Francisco de Paula

Julio Jomertz – Prefeitura de São Francisco de Paula

Rogério Mongelos – ONG Mira Serra

Lisiane Becker – ONG Mira Serra

Cilon Estivalet – Associação Ecológica de Canela e Metroplan


                                                 

Também apóiam este documento, prefeitos dos municípios da região dos Campos de Cima da Serra.



segunda-feira, 25 de maio de 2015

Doadores de sangue, os heróis reais!!!


Você sabia que para manter o estoque de sangue e seus hemocomponentes em um Hospital é necessário contar com a boa vontade de doadores? Quem precisa de uma transfusão, depende da solidariedade de outras pessoas! Ainda não foi encontrado um substituto para o sangue humano!

Se você é saudável, ajude seu próximo! Seja Doador! DOAR SANGUE É PRESERVAR A VIDA!
 
 

CONDIÇÕES PARA DOAÇÃO DE SANGUE

VOCÊ PODE DOAR SE:

   1- Tem idade entre 18 e 65 anos;

   2- Tem peso igual ou superior a 50 kg;

   3- Tem boa saúde, sente-se bem;

4- Sua última doação de sangue foi há mais de dois meses (60 dias) se você é homem oumais de três meses (90 dias) se mulher;

   5- Dormiu pelo menos 6 horas na noite anterior;

6- Tiver um documento oficial com sua fotografia e assinatura (RG, Passaporte, CNH ou Carteira de Trabalho... apresentação obrigatória);

   7- Estiver em período menstrual (mulheres);

   8- Estiver bem alimentado e não ingerir alimentos gordurosos no dia da doação.  

VOCÊ NÃO PODE DOAR, SE: 

   1- Ingeriu bebida alcoólica nas últimas 12 horas ou faz uso regular de bebida alcoólica;

   2- Apresentou quadro de gripe, febre ou diarréia nos últimos dias;

   3- Realizou tratamento dentário na última semana;

   4- Recebeu transfusão de sangue nos últimos doze meses;

   5- Fez endoscopia nos últimos 03 meses;

   6- Tem história de hepatite (amarelão) após os 10 anos de idade;

   7- Teve alguma doença sexualmente transmissível nos últimos  12  meses;

   8- Faz uso de drogas injetáveis ou inalatórias;

9- Manteve relações sexuais com mais de três parceiros diferentes nos últimos doze meses ou pratica relações com pessoas do mesmo sexo;

10- Estiver grávida ou com atraso menstrual que possa ser causado por gravidez. A doação pode ser realizada 03 meses após o parto normal e 06 meses após cesariana. Mulheres amamentando podem doar, somente se o parto ocorreu há mais de um ano e no caso de um episódio de abortamento após 03 meses;

11-  Tiver doenças crônicas como: diabetes, pressão alta, tuberculose, hanseníase, doenças nos pulmões, fígado, rins, tireóide, história de desmaios ou convulsões, isquemia ou derrame cerebral serão avaliados e podem ser impedidos de proceder à doação, pessoas com qualquer tipo de câncer não podem doar sangue;

12- Realizou cirurgias nos últimos meses de pequeno porte pode doar após 03 meses, médio e grande porte após 06 a 12 meses;

   13- Estiver em processos alérgicos com lesões de pele serão avaliados;

   14- Realização de tatuagem, acupuntura ou piercing, pode doar após 12 meses do procedimento;

15- Realizou alguma vacina como: gripe pode doar após 30 dias, febre amarela após 06 meses.Tratamento médico e uso de qualquer medicamento serão analisados. 

 

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Eu penso e talvez por isto eu não exista para muitos.



Algumas pessoas já notaram, outras estão percebendo agora. Eu não comemoro datas especiais. Eu comemoro o dia a dia. Passei a pensar assim depois de uma temporada na Europa aprendendo diariamente o que é a vida... depois de ver meu pai morrer uma morte tão triste... depois de ver meu irmão morrer com 28 anos... depois de passar um dia das Mães no hospital com minha mãe correndo o risco de perder amão... e tantas outras coisas que me parecem distantes e muito próximas hoje. Não passei o dia das Mães com a minha mãe. Foi escolha minha. Tô cansada de estar feliz, bem disposta, arrumada/produzida em datas marcadas. Minha vida nunca foi o que eu QUIS, mas O QUE ELA QUIS ME MOSTRAR. Eu cansei de seguir a fórmula pronta, imposta por uma sociedade que não pensa e só reproduz padrão. Desculpa! Não tenho nada contra coisa alguma, só não quero andar neste caminho. Ando muito magoada com coisas do passado que dão rasteira no presente e pouco tenho conseguido conviver com as pessoas. Mas isto não é ruim. Estou aproveitando este tempo para refletir, para buscar Deus e produzir comidinhas. Para reorganizar minha vida, meus sentimentos, minhas afeições. Não sou mais uma jornalista, mas adoro escrever. Não sou mais morena, mas continuo introspectiva. Não sou mais bagunceira, adoro organizar minha casa. Estar à margem de tudo, neste momento, não faz de mim bandida ou gente ruim. Algumas pessoas estão acreditando que mudei para pior. Eu acredito que mudei para melhor. Gostaria de mostrar na prática isto, mas parece impossível... continuo minha reflexão e volto à comemoração desta segunda-feira preparando o almoço aqui em casa.